(*) Por Marceone  Rodrigues

O povo brasileiro optou nas urnas por reconduzir a presidenta Dilma por mais quatro anos, com o sentimento de que ela possa dá sequencia as conquistas sociais iniciadas em 2003.

Foi uma eleição duríssima,com votos conquistados nos debates das escolas e universidades,nas conversas com vizinhos e amigos nas calçadas,praças,bares,filas de supermercados…

Tivemos que enfrentar além de um candidato rancoroso ,a grande mídia tendenciosa e uma central de ódio  escondida por trás de computadores,tablets e celulares.

Mesmo assim foi uma linda vitória,pois na medida que eles aumentavam a distribuição de ódio, crescia  entre os ativistas dos movimentos sociais o sentimento de unidade,independentemente se concordavam ou não com o partido da presidenta.

Tão logo saiu o resultado final o que se viu foi uma oposição inconformada,destilando preconceito e ódio contra os eleitores da presidenta Dilma,principalmente os do norte e nordeste.

Se não fosse o bastante e seis dias após a eleição,assistimos o “Desfiles dos Derrotados” pedindo o impeachment  e  a intervenção militar.

Apesar de termos vencido o jogo de outubro,o campeonato ainda não acabou,pois o time derrotado recusa-se a aceitar o resultado e a sair de campo,o que nos obriga a enfrenta-los a cada dia.

Temos dois desafios para os próximos dias e anos e as vitórias virão na medida que estejamos mobilizados:

* Enfrentar o  golpismo da oposição e seus meios.

* Cobrar constantemente da presidenta Dilma a manutenção das conquistas e a garantia de mais avanços sociais.

E é nesse cenário que entra mais uma vez a importância dos movimentos sociais,pois não podemos ficar de braços cruzados enquanto os golpistas desfilam pelas ruas do Brasil.

Precisamos mobilizar a base de nossos movimentos para os dias que virão e a simbologia dessa batalha passa  primeiramente pela a nossa massiva participação na posse da presidenta Dilma em 1º de janeiro de 2015.

A posse da presidenta Dilma tem que ser a festa do povo e da democracia,além da demonstração de força dos movimentos sociais e um recado claro aos que se recusam a aceitar a vontade do povo brasileiro depositada nas urnas no dia 26 de outubro.

A palavra de ordem é única: Mobilizar o povo para este importante acontecimento da vida politica brasileira!

(*) Marceone Rodrigues é Secretário de Juventude da Conam e Vice Presidente da Federação das Associações de Moradores do Estado do Piauí